sábado, 7 de abril de 2018

O Dilema do Luxo e da Liberdade

O que é prioridade na sua vida? Luxo ou Liberdade?

Sou uma pessoa inclinada ao minimalismo, de forma que não me importo em ter muitas coisas, nem o melhor de cada coisa.

Uma situação comum em nossa vida:

Dois itens do mesmo gênero. Podem ser dois carros, dois celulares, duas marcas de roupa e etc.
Considere um popular e outro top.
Na maioria das vezes 95% da satisfação vem só do fato de possuir o item, e o restante dos 5% vem somente do fator da "diferenciação".

Explico: O mais importante é ter um carro para se locomover, um celular para se comunicar, uma casa para morar... Então aquele valor 3x maior que pagamos em um bem chic, nada mais é do que para ter apenas mais 5% de satisfação. Reparou que quando realizamos uma compra de itens assim, a felicidade e a percepção de vantagem dura apenas algumas semanas? Agora tente ficar sem celular, sem casa para morar, passar a ter que andar de ônibus...

A conclusão é que na maioria das vezes não aplicamos nosso dinheiro com o melhor custo benefício.

Vejo muitas pessoas gastando rios de dinheiro para ter aquele 5% a mais somente para ter "o melhor". Isso é mais ridículo ainda quando lembramos que a maioria dos itens perdem esse status em apenas alguns poucos meses ou anos.

Olhando para o passado, me lembro da época que ninguém tinha carro, celular, vídeo-games ou podia comprar supérfluos no mercado. Hoje em dia, independente dos governos corruptos, estamos muito melhores no geral em relação à consumo.

Temos a oportunidade de comprar a nossa liberdade e estamos gastando em futilidades. A indústria do consumo age para que toda a grana volte para o bolso deles. Concretizamos isso quando quando compramos as engenhocas modernas que nos vislumbram através de lampejos de satisfação, assim como encantaram também nossos ancestrais indígenas da terra de Vera Cruz.
Todo mundo quer ser rico, então a mentalidade geral é possuir muitas coisas e mostrar a capacidade de consumo para seus pares. Todos trabalham como doidos para cada vez mais comprar coisas, e não percebem que isso é escravidão e não liberdade.

Lembremos a célebre frase de Robert Kiyosaki:

"É melhor trabalhar alguns anos criando um ativo do que passar a vida toda criando para os outros."

Ao invés de buscarmos a liberdade através de formação de patrimônio que gere renda para o futuro, preferimos viver escravos em um ciclo vicioso de endividamento, consumo burro, e trabalho.

Nossa mente sempre criará desculpas para o comportamento nocivo que trás a satisfação imediata. A mente trabalha para te confundir entre necessidade e desejo. É aí que o marketing das empresas atua.

Hoje não tenho o melhor carro, nem o melhor celular e nem a melhor casa. Mas busco o maior de todos os luxos que a maioria nunca chegará nem perto. Esse luxo se chama liberdade.

Para conquistar esse luxo é necessário resiliência e clarividência. É preciso entender que é um progresso exponencial até atingir o resultado. Chegará a um ponto que terá sempre mais do que imaginaria ter.

É preciso resiliência para não desistir quando contemplar os resultados dos consumistas. Como o crescimento deles tende a ser linear até atingir a aposentadoria (quando então há queda no padrão de consumo), é normal que na primeira etapa se viva com menos "resultados" do que essa turma. Mas tenha fé que logo chegará o ponto que seu crescimento exponencial superará essa linha linear medíocre feita de consumismo. A sua trajetória será meteórica e comprará a liberdade!

Abraços do Bufunfa!


18 comentários:

  1. Olá Bufunfa!
    Parabéns pelo post! Acho importante a discussão da filosofia da aposentadoria precoce, pois ela vem como um pacote completo, pelo menos para a maioria de nós que não terá uma grande herança para bancar a conta.
    Não sou do tipo minimalista, para alguns aspectos posso ser considerado esbanjador, como por exemplo comida boa. Mas tento ir afinando colocando meta para reduzir e dar preferência para fazer isso em casa onde é mais barato e muitas vezes mais saboroso.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Perfeito, Bufunfa!

    A indústria do marketing vende também a vergonha. Se vc não comprar o TOP, vc deve sentir vergonha de não ser aquela pessoa bem sucedida e feliz que eles mostram em seus anúncios. É de fato, uma pena, que a maioria das pessoas são levadas a pensar dessa forma.

    Expliquei em um artigo que o "prazer" é muito relativo. Será que nosso mundo não distorceu seu significado? Na Grécia antiga, eles acreditavam que "prazer" era associado ao conceito de tranquilidade, ou de paz.

    Segue o link, caso alguém se interesse: https://www.viagemlenta.com/2016/11/quando-vergonha-ofusca-o-real-prazer-e-lesa-sua-independencia-financeira.html

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Muito com Bufunfa. Se criassemos uma consciência dessas como sociedade muita coisa mudaria, inclusive os lucros das empresas (cairiam).

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade. Seria realmente uma economia sustentável e que usaria os recursos de maneira racional

      Excluir
  4. Olá.

    Quando compro qualquer coisa procuro medir a relação custo/beneficio. Isto quer dizer que nem sempre eu compro o mais barato.

    Abs.

    ResponderExcluir
  5. Acho que a chave de tudo o que você falou é como o nosso cérebro em geral trabalha a favor do prazer momentâneo. Então o importante é entender nossos padrões de pensamento e questionar nossas decisões sempre, evitando cair em armadilhas do marketing do consumo.
    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Realmente quando comprei meu primeiro carro eu lavava , cuidava colocava acessórios era bem feliz com ele , hoje tenho um bem mais novo completo e não ligo tanto. Acho que prazer está no primeiro grande degrau depois se torna comum ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim... E também acredito ter haver com amadurecimento

      Excluir
  7. eu gosto de comprar coisas com boa relação custo benefício. Ano passado tava pensando em investir num celular de R$ 1300 reais, mas pensei, poxa, meu salário é baixo e quero comprar um celular que é mais de um salário mínimo? E se for roubado, cadê os 1300? Pensei, pensei, e ai cheguei a conclusão de que não irei gastar mais de 750 reais. Pesquisei muito antes de comprar e achei um celular nesse preço com as mesmas funcionalidades do caro e estou feliz com ele (a saber, moto g4 play).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também passei por algo parecido. Decidi procurar um usado no OLX. COmprei o meu por 1000 reais. Se fosse comprar na loja seria usn 2 mil. O melhor de tudo é que estava novinho e o cara estava vendendo para comprar Iphone. OU seja, só pesquisar que achamos oportunidades. O que não falta é bobo no mundo que fica trocando toda hora por motivos expostos nesse post.

      Excluir
  8. Liberdade é o maior luxo que alguém pode ter.... e o mais caro também.

    Sr. IF365

    Blog IF365 | Acompanhe meus últimos 365 dias antes da IF e Aposentadoria Antecipada
    https://srif365.wixsite.com/if365

    ResponderExcluir
  9. Vendi um carro de luxo e troquei por um quase popular e você não imagina a pressão que estou sofrendo porque "eu não posso regredir"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk. Entendo bem isso. Eu andava tb só com carro maneiro da Citroen e agora estou com um popularzinho da chevrolet... Tem amigo meu pensando que estou falindo.

      Excluir

Blogs Recomendados